quarta-feira, 24 de abril de 2019

Nova turma 2019/1

Hoje a nossa nova turma, visitou a Rádio UFMG. Eles já estão se preparando para mais programas, em breve teremos lançamentos. Fique ligado! Todos os sábados e domingos, às 9h, na Rádio UFMG - 104,5fm
Foto de Michelle Brucker

Foto de Michelle Brucker


terça-feira, 23 de abril de 2019

Dica Serelepe - Espetáculo "A Caixa Mágica"

Belo Horizonte foi premiada com o Festival de Artes para as Infâncias, O FeNAPI. Era cada espetáculo mais bonito que o outro, cheio de brincadeiras, histórias. Pena que acabou, mas será que não tem mais teatro para infância em Belo Horizonte? Sem teatro, sem brincadeiras, sem histórias? Não mesmo! O FeNAPI terminou, mas a cidade continua com atrações voltadas para a infância.
Hoje mesmo, eu saí e encontrei com personagens de contos de fadas. É sério! Eles saíram de uma gaveta caída, digo de uma caixa mágica e me convidaram para a peça deles. É o pessoal da Cia. de Teatro Gaveta Caída, que estará apresentando o espetáculo "A Caixa Mágica" no dia 26 abril, às 19h e no 27 de abril, às 16h, na Funarte. Se você não está acreditando, confira você mesmo, dias 26 e 27 de abril, na Funarte.

Ingressos na Funarte 25 inteira e 12.50 a meia entrada.
Antecipados no Sympla - R$ 10,00
Ingressos sexta-feira, dia 26, às 19h - https://www.sympla.com.br/a-caixa-magica---2604---sexta-feira__504107
Ingresso sábado, dia 27, às 16h - https://www.sympla.com.br/a-caixa-magica---2704---sabado__504112

quinta-feira, 18 de abril de 2019

Programa Serelepe - Bossa Nova Velha

O programa de sábado, será sobre a Bossa Velha, digo a Bossa Nova dos anos 60. A Bossa Nova Velha, ficou curioso? Ouça sábado, às 9h, na Rádio UFMG -104,5 FM. Ouça também pela internet, acessando o link: www.ufmg.br/online/radio/arquivos/002140.shtml




sábado, 13 de abril de 2019

O Fenapi chegou!!

Imagina
Um Festival inteiro só com espetáculos interessantes
Um evento Nacional, que pudesse reunir artistas de BH e do Brasil inteiro.
Com preços populares, para incentivar e reuni várias pessoas em prol da Arte.
E ainda que contemplasse as Infâncias e as demais fases da existência.
Pois é, a Insensata Cia. imaginou primeiro e está promovendo o Fenapi, o Festival de Artes para as Infâncias.
O Fenapi vai reunir diversos artistas de vários lugares do Brasil, incluindo os mineiros, fazendo arte do dia 14 até o dia 21 de abril, em diversos pontos de Belo Horizonte. Promovendo atividades com preços populares e também gratuitas.

As atividades do Fenapi, já inicia nesse domingo, na Praça da Liberdade, com a intervenção “Intermitentes ou vai e vem” (grupo Teatro & Cidade), às 17h, e o espetáculo “Memórias de um Quintal” (BH), da Insensata Cia de Teatro, às 18h, além de um Quintal – espaço aberto para brincadeiras, jogos, lanche, trocas de ideias e compartilhamento de vivências entre os participantes – espaço que será montado ao longo do festival em diferentes dias na Praça da Liberdade e no Parque Municipal.

Informações e ingressos:



PROGRAMAÇÃO COMPLETA
Quintal – 14 a 20 de abril. Mediação: Júlia Castro, Dário Marques, Cláudio Márcio e Uátátá brincadeiras
(Espaço aberto para brincadeiras, jogos e troca de ideias onde as várias infâncias se encontram. Traga seu lanche e junte-se a nós nessa manhã de convívio)
14 de abril às 19h: Praça da Liberdade
19 de abril às 11h: Praça da Liberdade
20 de abril às 14h no Parque Municipal Américo Renné Giannetti


2º Seminário Arte Infâncias – Corpos Expressivos
17 de abril às 09h: Auditório Álvaro Apocalypse – Escola de Belas Artes / UFMG
Idealização: Brenda Campos, Carla Gontijo, Keu Freire e Neide das Graças
Comunicações:
“Corpo (In)verso – Coreografia de Cordel” – Ms. Carla Gontijo (PPG EBA UFMG)
“Criação autoral no teatro para as Infâncias” – Brenda Campos (PPGAC – UFOP) e Keu Freire (Idealizadores e Coordenadores do FeNAPI – BH)
“Pandalelê CP – UFMG, Rodapião e Serelepe EBA-UFMG: experiências artísticas dedicadas às crianças” – Prof. Dr.Eugênio Tadeu Pereira (UFMG)

Painel Crítico
Buscando contribuir para o pensamento no território do teatro infantil, as apresentações serão desdobradas em textos analíticos e reflexivos através do exercício da crítica.

Compõem o corpo crítico do FeNAPI – BH:
Anderson Feliciano: Dramaturgo e Performer. Mestrando em Dramaturgia (UNA-Buenos Aires)
Clóvis Domingos – artista, professor, pesquisador e crítico teatral no site Horizonte da Cena.
Diogo Horta – Mestre em Artes pela UFMG, programador cultural do Sesc Palladium e crítico do Horizonte da Cena.
Dib Carneiro Neto – Dramaturgo, jornalista e crítico especializado em teatro infantil.
Neide das Graças – Doutora em artes pela UFMG e professora da UFOP. Pesquisa as interfaces nos campos da literatura, teatro, imagem e educação.
Carol Braga – Jornalista responsável pelo Culturadoria – Curadoria de informação sobre artes e espetáculos.
Felipe Cordeiro – Artista de teatro, crítico, editor e pesquisador. Doutorando em Literaturas Modernas e Contemporâneas pela FALE/UFMG.

As escritas críticas/reflexivas serão divulgadas durante a realização do festival nas nossas redes sociais: facebook: facebook.com/fenapibh e Instagram: @fenapi.bh
*Os textos serão divulgados durante a realização do festival nas nossas redes sociais: facebook: facebook.com/fenapibh e Instagram: @fenapi.bh


Palestra
“Valorizando a Imaginação” – Dib Carneiro Neto
19 de abril às 20h: Sesc Palladium (Sala de Cinema)
Entrada gratuita. Retirada de senhas 30 minutos antes do início.
Nas peças para crianças e jovens, atuar no imaginário é mais eficiente do que o dedo em riste das lições de moral. Não é necessário invadir a imaginação da criança com as chamadas regras de conduta. Vale mais a pena, e é até mais honesto, tentar contar livremente uma história e deixar que a criança se identifique e a vivencie por si mesma. Teatro infantil não tem a obrigação de encerrar em si uma bela lição construtiva. Ele pode e deve querer “apenas” ser arte ou divertir.

Dib Carneiro Neto é um dos principais nomes do jornalismo cultural brasileiro contemporâneo. Atuante mercado da imprensa, já passou por veículos como Veja São Paulo e O Estado de S. Paulo. Dramaturgo premiado, é responsável pelo site Pecinha É a Vovozinha, portal de notícias sobre teatro infantil, do qual é fundador e editor-chefe.

Oficinas
“Jogos Teatrais com Objetos – Henrique Sitchin (Cia Truks)
Dia 15 de abril de 15h30 às 18h e 16 de abril de 08h às 11h – Teatro Universitário da UFMG (Sala Paula Lima)
Aqui o jogo é ressignificar objetos comuns, ou seja, brincar de fazer com que as coisas se transformem em outras. Ou seja, revisitar a infância, quando as coisas são transformadas poeticamente pelas crianças.
15 de abril: Profissionais, estudantes de teatro, interessados e curiosos (a partir de 16 anos)
16 de abril Crianças de 05 a 12 anos. (Os adultos que fizerem a oficina no dia anterior serão convidados a assistir)
Número de vagas: 20
Inscrições até dia 12 de abril pelo formulário disponibilizado nas redes sociais do festival ou pelo email: producao.fenapi@gmail.com
Henrique Sitchin é autor, ator e diretor teatral. Coordenador da Cia Truks – Teatro de Bonecos e Objetos, escreveu o livro “Teatro para crianças: problemáticas e solucio-lunáticas”.

“CBTIJ, ASSITEJ e ITYARN: instituições de fomento ao teatro para crianças e jovens” – Conversa com Paulo Merisio (Trupe de Truões)
17 de abril, de 16h às 18h30, no Auditório Álvaro Apocalypse (Escola de Belas Artes / UFMG)
Público-alvo: artistas, pesquisadores,professores e interessados em geral.
Vagas: 30
Inscrições até dia 12 de abril pelo formulário disponibilizado nas redes sociais do festival ou pelo email: producao.fenapi@gmail.com
Paulo Merisio é fundador e diretor artístico da Trupe de Truões e professor do curso de teatro da UNIRIO na modalidade pedagogia teatral. Atualmente é membro da diretoria executiva do CBTIJ e da ITYARN, e tem representado o Brasil em diversos eventos da ASSITEJ na última década.

APRESENTAÇÕES
14 de abril
INTERMITENTES OU VAI E VEM (Teatro e Cidade – Belo Horizonte / MG)
17h na Praça da Liberdade
Como um balão que de repente estoura. PUM! Eles surgem. Uma família? Talvez, turistas? Uma liga de super-heróis? Palhaços? Manifestantes? Caminham, ora em grupo, ora sozinhos, descobrindo, desbravando, brincando com o que há ao seu redor. Tudo é muito novo, mas estranhamente familiar. Num ir e vir descontraído, eles chamam a atenção das pessoas, com ações aparentemente comuns, mas que vão se transformando até adquirirem uma dimensão absurda ou fantástica.

MEMÓRIAS DE UM QUINTAL (Insensata Cia de Teatro – Belo Horizonte/ MG)
18h na Praça da Liberdade
Em meio a músicas e brincadeiras populares, “Memórias de um Quintal” traz à cena o duelo entre uma criança e um pardal. Manguinha sonhava em acertar um pássaro com o seu bodoque, mas sua péssima pontaria fazia dele motivo de chacota. Determinado, depois de muito treinar, finalmente consegue acertar um pardal! Mas o que sentiu nesse momento não foi exatamente a alegria que sempre esperou. A dramaturgia é livremente inspirada na obra “O Matador”, texto de Wander Piroli que se mistura com as memórias dos próprios atores, que narram e comentam seus apelidos e brincadeiras de infância.

15 de abril
DESENHO (Margô Assis e Eugênio Paccelli Horta – Belo Horizonte / MG)
14h30 no prédio de Teatro da UFMG (Sala Paula Lima)
“Desenho” é o encontro de uma bailarina com um artista plástico com o propósito de criarem juntos um espaço de ações. Através de materiais usuais como papel, barbante, fita crepe e tesoura, vão povoando o ambiente com imagens que por vezes permanecem, e em outras se transformam.

16 de abril
PROCURANDO FIRME (Coletivo Aberto – Ipatinga / MG)
14h30 no Grande Teatro do Sesc Palladium
Inspirado na obra homônima de Ruth Rocha, Procurando Firme explora a linguagem épico-dramática para o público infantil, parodiando e questionando os velhos valores do mundo das princesas. Com muita música e agilidade, introduz o pensamento feminista ao público infantil.

17 de abril
O FELIZARDO (Ovorini Carpintaria Cênica – Sete Lagoas / MG)
14h30 na Casa de Candongas
O Felizardo conta as aventuras de João, cuja felicidade maior é o desapego. Após sete anos de trabalhos, ele tem o desejo de reencontrar sua mãe. Depois de ganhar como recompensa uma barra de ouro, João se mete em diversas trocas.

18 de abril
YAGA – UMA HISTÓRIA PARA CRIANÇAS CORAJOSAS
(Severina Cia de Teatro – Pindamonhangaba / SP)
15h – Teatro Nossa Senhora das Dores
Neste espetáculo, inspirado no conto russo “Vasalisa, a sabida”, as fantasiosas lentes do olhar infantil junto às possibilidades lúdicas de um quintal conduzem suas personagens à uma aventura cheia de desafios, suspense e magia rumo à casa da bruxa Baba Yaga.

PEQUENICES (Consonante Cultura – Porto Alegre/ RS)
18h no Palácio das Artes – João Ceschiatti
É uma peça interativa de dança voltada para público infantil que nasce de uma intensa e potente convivência com as crianças. Nossos encontros, destinados à experimentação com dança, foram matéria e inspiração para este trabalho. O tema “viagem” é o mote que conduz a apresentação e, como um jogo, a proposta convida as crianças a literalmente “viajar nessa dança”, ou seja, os pequenos e pequenas tornam-se também protagonistas da peça. Em cena, participam até 15 crianças. Adultos e acompanhantes compõem a plateia e apreciam. De preferência, sem moderação.

19 de abril
INTERVENÇÃO COM CAIXAS DE TEATRO LAMBE-LAMBE
(Cia LuaPraRua – Teatro de Formas Animadas – Catas Altas / MG)
10h na Praça da Liberdade
A “Intervenção com caixas de Teatro Lambe – lambe” reúne três diferentes caixas: “Quintal”, “Como Água Pro Sertão” e “A Lavadeira”. Cada uma com sua encantadora história, convida o público a adentrar e se surpreender com o universo do teatro em miniatura.

MALASSOMBROS – CONTOS DO ALÉM SERTÃO (Teatro de Retalhos – Arcoverde / PE)
18h30 na praça Duque de Caxias – Santa Tereza
Dona Nina abre o terreiro de sua casa para receber todo mundo que gosta de ouvir histórias. Mas não qualquer história! As dela são de dar calafrio e arrepiar os cabelos! Mas não precisa fugir correndo, com a ajuda dos vizinhos Seu Biu e Zé das Cangas, nossa anfitriã pode acabar arrancando umas boas risadas.

20 de abril
ABENA (Cia Bando – Belo Horizonte / MG)
15h no Parque Municipal Américo Renné Giannetti
Que Abena é uma das princesas mais belas de todo o mundo, não há quem discorde! Pretendentes de todas as partes esperavam ter sua mão em casamento. Diante de tanto cortejo o jeito foi fazer uma grande disputa! Mas o coração de Abena… Ah, o coração já estava preenchido de amor por alguém. Mas nessa disputa, quem será o vencedor?

JUVENAL, PITA E O VELOCÍPEDE (Pandorga Cia de Teatro – Rio de Janeiro / RJ)
17h00 no Teatro Espanca!
Juvenal relembra as histórias dos tempos de infância a bordo de um velocípede e na companhia da melhor amiga, a Pita. Enquanto espera a amiga chegar ao teatro, ele relembra diversas histórias dos tempos de criança: como ele recebeu o nome Juvenal, o dia em que ganhou o velocípede do tio, a paixão pelo personagem japonês Ultraman, como ele conheceu a Pita, entre outras.

21 de abril
PATUSCADA (Rafael Protzner – Belo Horizonte / MG)
15h no Cine Teatro Brasil Valourec (Teatro de Câmara)
Festa, balbúrdia, bagunça! Em um encontro festivo e divertido com o público, o ator improvisa cenas vestindo diferentes máscaras – personagens desenvolvidos a partir das máscaras do teatro balinês, o Topeng. As cenas são totalmente improvisadas e a cada apresentação tem-se um espetáculo diferente.

A FESTA DO PIJAMA (Grupo Oriundo de Teatro – Belo Horizonte / MG)
18h no Grande Teatro do Sesc Palladium
“A Festa do Pijama” é uma grande celebração ao mundo da criança, povoado por brincadeiras, disputas, histórias e estados emocionais todo próprios do universo infantil como a pirraça e o medo de assombração. Tudo revelado e vivenciado por atores em cena e com trilha sonora executada ao vivo.

Dica Serelepe - Piquenique Literário

Ei pessoal, nesse sábado, de 9h às 12h, vai acontecer o Piquenique Literário, no Parque Lagoa do Nado. Todas as atividades são gratuitas. Convide seus familiares, amigos, leve aquele lanche bem gostoso e não se esqueça dos livros! Sim, no Piquinique Literário haverá troca de livros, Contação de História, Leituras e muitas brincadeiras com os nossos amigos do Pequeno Pajé. Nos vemos lá!

sexta-feira, 12 de abril de 2019

Programa Serelepe - Bicho também sonha

Você sabia que bichos também sonham? Pois é, eu ouvi o Boto Rosa contando seu sonho para o Papagaio do Bico Dourado. Dá para acreditar? Ouça essa história, sábado, às 9h, na Rádio UFMG-104,5 FM. Você pode ouvir também esse  sonho no link: www.ufmg.br/online/radio/arquivos/002140.shtml
Mas será que bichos falam ou estão sonhando? Bom, saberemos no sábado, às 9h.



segunda-feira, 8 de abril de 2019

Dr. Seuss - A saga final

   Olá, serelepos! Hoje, enfim, termina a odisseia conhecida como Dr. Seuss! Caso não saibam do que estou falando, só clicar aqui.
   E, como prometido, o assunto desta postagem é sobre as animações feitas em cima das obras do Dr. Seuss. Será dividido em duas partes: os especiais de televisão em formato de animação 2D, e as animações para o cinema, em formato 3D.
 
   As primeiras animações feitas para a televisão datam entre 1942 a 1989, tendo grandes nomes da indústria da animação envolvidos, como Chuck Jones e Ralph Bakshi. As animações foram: "Horton Choca o Ovo" (1942), "Como o Grinch Roubou o Natal" (1966), "Horton e o Mundo dos Quem" (1970), "O Gatola na Cartola"(1971), "O Lorax" (1972), "Dr. Seuss on the Loose" (1973), "Halloween Is Grinch Night" (1977) e por último "A Guerra do Pão com Manteiga" (1989).   


Chuck Jones dá a expressão quase perfeita
ao personagem principal.
   Dentro dessa leva de animações, a mais famosa é, sem sombra de dúvidas, "Como o Grinch Roubou o Natal", que foi sucesso de audiência e crítica. Não por acaso fez esse sucesso. O especial para televisão foi animado por Chuck Jones, e teve a trilha sonora composta pelo próprio Dr. Seuss. A animação é até hoje reprisada na televisão estado-unidense, e é, até hoje, o especial de natal mais popular dos EUA. 
   De modo geral, essas animações mantiveram o espírito das obras escritas pelo Dr. Seuss. O mesmo não se pode dizer das animações atuais. Como dito na última postagem sobre o assunto, a esposa do Dr. Seuss proibiu que outros filmes com atores fossem feitos. 
   Foi então que, em 2008, o estúdio Blue-Sky (o mesmo de "A Era do Gelo") lançou "Horton e o Mundo dos Quem". Apesar de ter sido bem recebido pelo público e pela crítica em geral, não há como negar que esse filme se distancia da obra original, contendo cenas um pouco fora de contexto (por exemplo: quando há a sequência de anime no meio do filme). 
   Em 2012, o estúdio "Illumination" (o mesmo de "Meu Malvado Favorito"), lançou "O Lorax", que, bem... Não foi uma ideia muito boa, como dá pra perceber na postagem que fiz a respeito desse assunto.
   Eis então que, em 2018, eles fizeram uma nova animação de "Como o Grinch Roubou o Natal", também feita pela Illumination Studios. O filme não é ofensivo como "O Lorax", mas é bem medíocre em comparação com a primeira animação, de 1966. 

   Enfim, apesar das visões não muito favoráveis, ainda recomendo que as novas animações sejam assistidas, mesmo que para efeito de comparação. 

   E é isso, aqui se finaliza a "Saga do Dr. Seuss". Opiniões são bem-vindas nos comentários, e continuem a acompanhar o blog e os programas de rádio. Um abraço.