quarta-feira, 28 de junho de 2017

Programa Serelepe - Fomos abandonadas

Você já foi esquecido ou abandonado
 em algum lugar?
Neste sábado vamos ver, digo ouvir, como a Clara, a Daniela e a Morgana vão fazer, pois elas foram abandonadas.

https://www.ufmg.br/online/radio/

sexta-feira, 23 de junho de 2017

Jogos e Brincadeiras Moçambicanas

Para você que estiver em BH no dia 28 de junho, não perca a Oficina de Jogos e Brincadeiras de Moçambique, ministrada por Lenna Bahule,  na sede do Grupo Dez - Rua: Nossa Senhora do Brasil, 707, Cachoeirinha.   
A oficina visa transmitir um pouco da cultura moçambicana por meio de jogos, brincadeiras, contos e cantos.
Investimento: R$ 100,00 
Inscrição pelo email - contato@lennabahule.com
Ah! E não esqueça de compartilhar conosco sua experiência na oficina. Deixe um comentário aqui no Blog.




quarta-feira, 21 de junho de 2017

Programa Serelepe - Adedanha

Um, dois e já! Sábado, o Serelepe estará todo brincalhão e quem vai puxar a roda serão as brincantes Clara e Joana. Não perca na Rádio UFMG - 104,5 ou online pelo link: https://www.ufmg.br/online/radio/



quarta-feira, 14 de junho de 2017

Programa Serelepe - Cozinhando


Sábado, vamos experimentar a nova receita do Thomaz e da Carol, digo da Morgana.
Não perca na Rádio UFMG - 104,5 ou no link:
https://www.ufmg.br/online/radio/



quarta-feira, 7 de junho de 2017

Programa Serelepe - Desfecho Final

Você já ficou de mal de algum amigo? Aconteceu isso no Serelepe com a  Clara,
a Dani e a Morgana.
Ouça o programa no sábado, 10/06,
e você conhecerá o final, digo o desfecho desta história.



segunda-feira, 5 de junho de 2017

Il était une fois - Era uma vez

Quem não gosta de ouvir uma boa história? Pois bem, se você é um grande ouvidor, digo leitor de histórias, teremos nosso momento "Era uma vez". Vamos começar com um conto francês de La Fontaine, que relata a história de um cavalo que se achava esperto.Veremos também a versão brasileira feita por Monteiro Lobato.

O Asno e o cavalo - La Fontaine

Um asno, de passo tardo,
mal podendo suportar
o pesadíssimo fardo
que tinha de carregar,
pediu ao Cavalo:
- Amigo, podes dividir comigo
a carga que mal suporto?
Se assim continuar,
muito em breve estarei morto.
O Cavalo respondeu:
- Com isso pouco me importo.
Sem demora, o Asno morreu.
Então o dono dos dois
transferiu para o Cavalo
todos os sacos de arroz.
E foi assim que um esperto
acabou bancando o otário
e pagou um alto preço
porque não foi solidário.

O Burro e o Cavalo - Monteiro Lobato

O cavalo e o burro seguiam juntos para a cidade. O cavalo contente da vida, folgando com uma carga de quatro arrobas apenas, e o burro — coitado! Gemendo sob o peso de oito. Em certo ponto, o burro parou e disse:
— Não posso mais! Esta carga excede às minhas forças e o remédio é repartirmos o peso irmãmente, seis arrobas para cada um.
O cavalo deu um pinote e relinchou uma gargalhada.
— Ingênuo! Quer então que eu arque com seis arrobas quando posso tão bem continuar com as quatro? Tenho cara de tolo
O burro gemeu:
— Egoísta, Lembre-se que se eu morrer você terá que seguir com a carga de quatro arrobas e mais a minha.
O cavalo pilheriou de novo e a coisa ficou por isso. Logo adiante, porém, o burro tropica, vem ao chão e rebenta.
Chegam os tropeiros, maldizem a sorte e sem demora arrumam com as oito arrobas do burro sobre as quatro do cavalo egoísta. E como o cavalo refuga, dão-lhe de chicote em cima, sem dó nem piedade.
— Bem feito! Exclamou o papagaio. Quem mandou ser mais burro que o pobre burro e não compreender que o verdadeiro egoísmo era aliviá-lo da carga em excesso? Tome! Gema dobrada agora…