sábado, 24 de novembro de 2012

Curupaco no Música Para Crianças

O Serelepe recomenda!

 

Espetáculo infantil explica a história, os povos e a língua do Brasil



A cantora e compositora Anna Ly leva para os palcos espetáculo inspirado no livro "Desenrolando a língua", de sua autoria, lançado pela Autêntica Editora em 2011. Apresentação acontece dia 02 de dezembro às 11hs no Bar Belisco – Rua Conde Dolabela, 2369 – Várzea – Lagoa Santa.
Inspirado no livro homônimo publicado no ano passado pela Autêntica Editora, e finalista do prêmio Jabuti 2012, no espetáculo Desenrolando a língua, Anna Ly interpreta, canta e brinca com as crianças para explicar um pouco sobre a formação do povo brasileiro: a chegada dos navegadores portugueses, seu encontro com os povos indígenas e a posterior fusão dessas duas culturas com a africana, que constituem alguns fundamentos da identidade brasileira atual.
Nessa contação de histórias musical as crianças participam, brincam, sobem no palco e interagem com a cantora-atriz.
De uma forma divertida as crianças aprendem sobre nossa cultura, nossa língua e desfrutam de um dos maiores patrimônios do Brasil: a música, neste caso composta especialmente para o público infantil. Também aprendem sobre diversidade cultural, tudo de modo muito lúdico.
O espetáculo foi desenvolvido a pedido da Fundação Cultural Hispano-Brasileira, uma instituição sem fins lucrativos fundada em 2001 por iniciativa da Embaixada do Brasil na Espanha e pela Universidade de Salamanca. Com sede em Madri, seu objetivo é fomentar e desenvolver o conhecimento da realidade brasileira na Espanha. A entidade tem como presidente de honra Juan Carlos I, rei da Espanha, e a presidente da República, Dilma Rousseff.
O espetáculo, com roteiro e direção de Andreia Moroni, estreou em espanhol e português em maio de 2010 e já fascinou mais de mil crianças europeias. Agora, vai encantar as crianças do Brasil, com o apoio do Programa MúsicaMinas.
Sobre Anna Ly - Anna Ly (Brasil, 1963), cantora e compositora, é especialista em dar aulas de música para crianças. A partir de seu contato com o universo infantil, se dedicou durante 5 anos a estudar as origens da língua portuguesa falada no Brasil, o que resultou no livro-CDDesenrolando a língua (Autêntica, 2011, 2ª edição). Lançado no Brasil em 2007, este trabalho conta a história de Lu, uma menina muito curiosa que faz uma viagem de descobrimento sobre a língua de seu país. O livro está acompanhado de 13 músicas cantadas em português, espanhol, italiano, francês, latim, grego e inglês, algumas das quais foram incluídas em no espetáculo. O livro foi adotado por diversas escolas do país como ponto de partida para trabalhos interdisciplinares.
Atualmente, Anna Ly vive em Barcelona e desenvolve dois livros-CD que serão publicados na Espanha (editora Octaedro, no prelo), conciliando sua agenda de shows de Bossa Nova com os ensaios de uma big band de jazz e as apresentações do espetáculo Desenrolando a língua
Saiba mais
Ouça a música “Língua de índio”, incluída na apresentação (com ilustrações do livro Desenrolando a língua):
http://www.youtube.com/watch?v=25XtNzknqCg
Apresentação do espetáculo Desenrolando a língua
Público: a partir de 3 anos
Data:  02 de dezembro
Local: Bar Belisco – Rua Conde Dolabela, 2369 – Várzea- Lagoa Santa
Ingressos: Entrada Franca

segunda-feira, 5 de novembro de 2012

Serelepe em Santa Fé - breve relato


Aconteceu entre os dias 25 e 28 de outubro de 2012 em Santa Fé (Argentina) a 6ª Edição do festival "Sonamos Latinoamerica" que conta com sedes em distintas cidades da Argentina, Colômbia, Uruguai e Venezuela. A novidade deste ano foi incorporar uma secção destinada especialmente ao público infantil, chamada “Sonamos para los Chicos”. 

O Serelepe teve o prazer de participar do Sonamos para Los Chicos, ao lado de vários artistas que também dedicam seu trabalho ao público infantil, entre eles: Coqui Dutto (Córdoba - Argentina), La Carreta (Córdoba - Argentina), Canticuénticos (Santa Fé - Argentina), Divertitango (Buenos Aires - Argentina). Foram dias muito especiais!

Na oportunidade, realizamos 3 apresentações do espetáculo Locotoco e fizemos também uma oficina. 

Apresentação Locotoco no dia 25/10/12 (quinta-feira) – Sala Carlos Guastavino - Centro Cultural Provincial de Santa Fé. Nossa apresentação integrou a programação do Festival Sonamos Latinoamerica. Dividimos palco com os grupos El Fuego de la Semilla (Rosário – Argentina) e com o duo El Parcito (Chile). O público era composto por músicos participantes do festival e pelo público em geral (em sua maioria adultos). O objetivo foi promover a integração entre os artistas que se dedicam ao público infantil e ao adulto, buscando romper com essa costumeira distinção que se faz entre os gêneros artísticos.

Apresentação Locotoco no dia 26/10/12 (sexta-feira) – La esquina escendida - Nossa apresentação se voltou para famílias (crianças e adultos) que passeavam pelo local. Esta intervenção não aparece na programação oficial do festival porque foi organizada nos últimos dias. Fez parte das atividades de extensão do Festival Sonamos para Los Chicos. Foi uma apresentação leve, descontraída, numa tarde agradável e ensolarada!




Oficina “Juegos Musicales” - 27/10/12 (sábado) – El Solar de Las Artes. O público era formado basicamente por professores de música, educadores em geral e demais interessados. Havia três crianças participando (acompanhando seus pais) o que gerou uma interação muito proveitosa. Parte dos participantes já havia frequentado outras oficinas do Serelepe ministradas anteriormente em Santa Fé. Foi muito divertido!

Apresentação Locotoco no dia 28/10/12 (domingo) – Foro Cultural Universitário. Na oportunidade, dividimos palco com o grupo La Carreta (Córdoba – Argentina). Esta apresentação fez parte dos “Concertos para desfrutar em família” do Festival Sonamos para Los Chicos. O público era formado por crianças e adultos, além dos músicos participantes do festival. Encerramos nossa participação com chave de ouro!




Agradecemos imensamente a Daniel Bianchi, Lauri Ibañez por nos receberem tão bem em Santa Fé.

A Manuela Rebouças, pela assistência e colaboração com a Iluminação de nosso espetáculo.
A Marco Vilches e Julio Brum pelo registro fotográfico/ filmográfico.
A todos os artistas e a todo público do Sonamos Latinoamerica e do Sonamos para los Chicos.

Aos grupos La carreta, Divertitango, Canticuénticos e Coqui por compartilharem sua música!
 
E ao Música Minas, por viabilizar nossa participação nesse belíssimo festival!
Nosso muito obrigado!

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Serelepe em Bogotá - breve relato


 Bogotá
Entre os dias 05 e 07 de outubro de 2012, o Serelepe participou do Festival Latino-americano da Canção Infantil, na cidade de Bogotá (Colômbia). O festival foi uma prévia para o 11º Encontro da Canção Infantil Latino-americana e Caribenha (MOCILyC), que ocorrerá na mesma cidade, entre os dias 20 e 29 de setembro de 2013. Ambos os eventos têm a coordenação geral de Jorge Sossa, da Corporación Escuela de Música Nueva Cultura.

Nesse ano, o festival teve o Brasil como país convidado e contou também com a participação do Duo Rodapião (de Belo Horizonte) e de Márcio Coelho e Ana Favaretto (de Ribeirão Preto). 

Na oportunidade, o Serelepe ministrou duas oficinas (uma no Colégio Distrital Porfirio Barba Jacob e outra no Colsubsídio) e apresentou-se com o espetáculo “Locotoco”, ao lado do grupo Amatista - Nueva Cultura (no grande Teatro do Colsubsídio). Foi também nesse teatro onde se apresentaram o duo Rodapião, que lançou o seu primeiro DVD, e o grupo colombiano Malaquita.

A programação completa do festival incluía ainda lançamento e apresentação de trabalhos discográficos e audiovisuais do Movimento da Canção Infantil Latino-americana e Caribenha, o que ocorreu no Museu de Los Niños, e uma roda de conversas sobre o brincar e a música para crianças, mediada pelo professor Marco Antonio Guerrero (do grupo Los Bogotes de Nutria), na qual participaram Julio Brum (Uruguai), Eugenio Tadeu e Miguel Queiroz (Brasil). A conversa aconteceu no Colégio Distrital Porfirio Barba Jacob, localizado em Bosa, ao sul de Bogotá.

Para o Serelepe foi um prazer e uma honra poder participar deste Festival. Foi a primeira vez que nos apresentamos em Bogotá, terra que abriga tantos grupos importantes para o MOCILyC e tanta gente querida. As atividades que propusemos foram recebidas com respeito e entusiasmo pelo público, o que para nós é muito gratificante. Além disso, fora da programação oficial, tivemos a oportunidade de conhecer vários espaços da cidade importantes para a produção musical voltada para as crianças (como a Escuela de Música Nueva Cultura; a Escuela de Música Charito Acuña, e a Escuela de Música Malaquita). Gravamos até uma matéria ao vivo num jornal televisivo! Enfim, tivemos mais uma vez a oportunidade de compartilhar experiências e ideias com pessoas que conhecíamos e outras que acabáramos de conhecer.

Esperamos que no ano que vem possamos, mais uma vez, nos reencontrar em terras colombianas. Nossos sinceros agradecimentos a todos que tornaram esse evento possível, e em especial ao amigo Jorge Sossa. Muito obrigado!

Abraços fraternos,

Eugenio Tadeu, Reginaldo Santos e Cris Lima

Belo Horizonte, 20 de outubro de 2012

*** 

Confira algumas imagens do que aconteceu por lá! 

Serelepe.

 Serelepe e Rodapião, Na City TV - Jornal El tiempo.


 Na City TV - Jornal El tiempo

 Na City TV - Jornal El tiempo

 Em Bosa.


  Em Bosa.

  Em Bosa.

 Miguel, Márcio e Ana.


 No Colsubsídio.


  No Colsubsídio.

  No Colsubsídio.

Visita à escola de música Malaquita.


 Regis, Julio, Cris, Jorge e Tadeu.
 Regis, Julio, Miguel, Jorge e Tadeu.


domingo, 14 de outubro de 2012

Soamos América Latina!




Entre os dias 25 e 28 de outubro de 2012 se realizará em Santa Fé (Argentina) a 6ª Edição do festival "Sonamos Latinoamerica" que conta com sedes em distintas cidades da Argentina, Colômbia, Uruguai e Venezuela, propiciando assim uma rota de difusão e intercâmbio extremamente enriquecedora e em crescimento constante. A novidade deste ano é incorporar uma secção destinada especialmente ao público infantil, chamada “Sonamos para los Chicos”. Nela se apresentarão importantes grupos do gênero da canção infantil, em apresentações dedicadas a crianças em idade escolar e toda a família. Desta maneira, se pretende valorizar e dar a conhecer as propostas dedicadas às crianças e vinculá-los ao seu entorno social e cultural.

Na oportunidade, o Serelepe fará 4 apresentações, incluindo uma oficina de Juegos Musicales. Clique na imagem para ver a programação completa!

Nossa participação só será possível graças ao Edital de Intercâmbio do Programa Música Minas - 2012, que financiou os voos dos integrantes do grupo.

Maiores informações no site: http://www.sonamoslatinoamerica.com/

Serelepe se apresenta na UFMG

 Foto: Thiago Franco


Na próxima quinta-feira, dia 18/10/2012, o Serelepe se apresenta com o espetáculo "Locotoco" na XIII Reunião Anual UFMG Jovem. O evento é destinado a alunos e professores dos ensinos fundamental e médio do estado e tem como objetivo promover o intercâmbio da produção científica de escolas mineiras.

A apresentação acontece às 11h, na Praça de Serviços da UFMG. Avenida Antônio Carlos, 6627 - Pampulha.

Maiores informações: http://www.ufmg.br/proex/ddc
Telefone: 31 3409-4427
Email: ddc-conhecimentoparatodos@proex.ufmg.br
Promoção: Diretoria de Divulgação Científica da UFMG (DDC)
Realização: Diretoria de Divulgação Científica da UFMG (DDC)

Para nos divertir cantando

Matéria publicada no jornal argentino El Litoral.

Edición del Sábado 06 de octubre de 2012

Coqui Dutto 01.JPG
Coqui Dutto trae las más bellas canciones de cuna, para disfrutar con los más chicos.

Para divertirnos cantando

Se realizará el Primer Festival de Música Infantil Latinoamericana. Será en el marco del reconocido encuentro Sonamos Latinoamérica. Los días sábado 27 y domingo 28, la sala del Foro Cultural se llenará de sonidos para los más chiquitos. También habrá recitales para las escuelas y talleres para docentes. Aquí, los organizadores cuentan la propuesta y se adelanta la programación.

TEXTOS. MILI LÓPEZ

Pensar en música para niños no es poca cosa. En el campo de las producciones para niños, hay una constante que impera tanto en la música como en la literatura: debe ser simple. El hecho es que esta simpleza que proponen los estereotipos, subestiman la interacción de los niños y su capacidad creativa.

Sumado a esto, los medios de comunicación sitúa a los más pequeños en un lugar de mero consumidor, y las grandes discográficas dificultan el acceso a artistas dedicados al género infantil para enarbolar los ya consagrados del mercado, lo que lleva al desconocimiento de otras propuestas. Este escenario es harto conocido y no escapa a otras aristas del mercado de la música.

El desafío es, entonces, no quedarse en la queja, sino dar un vuelco a la realidad. En nuestro país han abierto caminos en la música infantil, grupos y solistas como Promúsica de Rosario, Caracachumba, María Teresa Corral, Los Sonsonando, Violeta de Gainza, Judith Akoschky, Los musiqueros, Carlos Gianni, Al tun tun, La chicharra, Los tiringuitas, Luis María Pescetti y Magdalena Fleitas, por nombrar sólo algunos. Y hay que imaginarse este caudal expresivo trasladado a otros países latinoamericanos, donde estos artistas visten sus canciones con ritmos y poesías propias de cada patrimonio cultural.

La mayoría son docentes de música que vislumbran un vacío en las propuestas musicales, y deciden tomar las riendas y componer ellos mismos su cancionero escolar. Luego esos cancioneros trascienden el aula y se plasman en espectáculos para toda la familia.

En Santa Fe, ocurre lo propio. Por decantación de años trabajando en la docencia y también vinculados a las expresiones de música popular, el Grupo de música infantil Canticuénticos, junto a los organizadores del ya reconocido festival “Sonamos Latinoamérica”, se unen para gestar el Primer Festival de Música infantil Latinoamericana “Sonamos para los chicos”.

Con grupos de Córdoba, Santa Fe, Buenos Aires, y Brasil, se llevará a cabo los días 27 y 28 de octubre en el Foro Cultural de la UNL (ver recuadro con programación). También habrá recitales para las escuelas y talleres para docentes.

SEMILLAS QUE FLORECEN

El grupo santafesino Canticuénticos ya ha hecho camino al andar. Además de alentarse a componer canciones basadas en ritmos e historias de Latinoamérica, la música les ha abierto puertas hacia horizontes donde encontraron artistas que compartían las mismas inquietudes y estéticas al momento de pensar en propuestas para niños.

Luego de participar de un encuentro del MOCILYC (Movimiento de la Canción Infantil Latinoamericana y Caribeña), en Brasil; y vincularse a Momusi, (Movimiento de Música para niños), han decidido ser parte de un movimiento estético en relación a la música infantil.

“Comenzamos a formar parte de una red de propuestas con músicos que tienen una producción muy cuidada desde lo estético, pero también desde lo ideológico, haciendo música de excelente calidad, dirigida a los intereses, la sensibilidad, el desarrollo y la inteligencia de los chicos”, cuenta Daniel Bianchi, músico integrante de Canticuénticos.

Así nace “Sonamos para los chicos”, de las ganas de compartir las nuevas composiciones de música infantil y del compromiso con la educación en el arte que nutre la conformación identitaria de los niños. Proponer espacios que nutran los escenarios y las discotecas familiares y escolares de música concebida especialmente para los niños es el gran objetivo. “Vimos que nuestra ciudad estaba bastante al margen de este tipo de propuestas, y sentimos la necesidad de comenzar a generar espacios donde esta música circule”.

PALETA DE COLORES

Los espectáculos que integrarán el “Sonamos para los chicos” no persiguen fines netamente didácticos, pero todos intentan acercar a los niños a la creatividad, al juego, a los valores, al arte como medio de expresión, y al compromiso con el cuidado del entorno cultural.

Así, llega desde Buenos Aires el grupo Divertitango, un espectáculo con músicos, actores, bailarines y un cantante que narra la historia de nuestra música porteña de un modo ameno, vistoso, didáctico y entretenido. En el cuerpo de Guillermo Ibáñez, Daniel Sansotta, Verónica González, Juan Rivero, Matías Gobbo y Juan Ángel Bonura, circulan distintos personajes: “los negros candomberos”, “el gaucho”, “los payadores”, “el guapo”, “la percanta”, “el pituco”.

Desde Córdoba, dos propuestas se suman al festival. La cantante, docente y compositora Coqui Dutto traerá su espectáculo basado en canciones de cuna, en una propuesta ideal para los más pequeños. Como una manta de sonidos que arropa y cobija, una selección de canciones de cuna latinoamericanas, invitan a recuperar la esencia de ese canto espontáneo y casi ancestral que forma parte de un rito cotidiano.

En tanto, La Carreta trae sus canciones de música de raíz folclórica argentina. El grupo lleva a escena nuestra cultura más enraizada con colores, formas y decires actuales. Las canciones van surgiendo a partir de los relatos de tradición americana del personaje Pedro Urdemales que junto con sus aventuras dan el toque final a esta propuesta musical. Así, se suceden gatos, chacareras, carnavalitos, coplas y chotis. Son parte de este espectáculo Cecilia Raspo, en voces y violonchelo, Guillermo Bonaparte, en voces, guitarra y charango, Susana Freitsz, en voces y flauta traversa y Leandro Alem, en voces y percusión.

DE BRASIL A SANTA FE

Desde Brasil, Serelepe presenta su espectáculo “Locotoco”, inspirado en canciones y juegos tradicionales recogidos en diferentes regiones de América Latina. Tocando instrumentos varios, como tambores, cuatro y guitarra, Cris, Reginaldo y Eugenio invitan al público a soltar la imaginación y entrar en el universo mágico del juego.

En tanto, como anfitriones y gestores de este festival, la propuesta de Canticuénticos se basa en canciones, títeres y relatos que recorren América Latina, e invitan a toda la familia a disfrutar de un espectáculo tan mágico y divertido como emotivo. Las canciones toman forma en la interpretación de Daniela Ranallo y Laura Ibañez en voces, Ruth Hillar, en flautas y coros, Daniel Bianchi, en guitarra y cuatro, Gonzalo Carmelé, en bajo y Nahuel Ramayo, en percusión.

OTRA MIRADA

Desde hace años, artistas y músicos intentan dar alternativas de escucha a las ya conocidas masivamente. Mediante el juego se revaloriza al arte como medio expresivo y se introducen conceptos e imaginarios del medio en el que habitan. La escuela es uno de los espacios posibles donde se pueden desarrollar ámbitos creativos que estimulen al niño en su entorno cultural.

“La educación debe formar seres humanos sensibles. Desde la niñez hay que nutrir esta idea y esta forma de entender el mundo. No solamente desde la educación oficial, la de las escuelas, sino también la que se imparte en las casas, la de la familia. Las preguntas que nos debemos hacer son: ¿qué pasa con un chico cuando está mirando televisión?, ¿qué música le acerco para que escuche?, ¿qué hace un chico cuando juega?”, destaca Bianchi, y completa “por lo general, las propuestas que difunden masivamente los medios de comunicación sitúan al niño como mero consumidor, brindando propuestas banales, o poco acordes a los intereses y los procesos intelectuales de los niños. En ese sentido, el aporte del festival se plasma también en el hecho de brindar a los adultos herramientas para formar juicio crítico acerca de las manifestaciones que frecuentan los chicos a través de los canales habituales”.

En esta línea, los artistas que participarán del festival también dictarán talleres dirigidos a docentes de música, pero también a docentes en general, y a cualquier interesado en la música como herramienta didáctica cotidiana. “Se trata de propuestas prácticas y participativas, que abordarán distintas temáticas, centradas en el arte y la niñez”, apunta y agrega: “la idea es, además, crear espacios de intercambio de experiencias entre los artistas y los docentes. Los objetivos que nos impulsan son los de enriquecer las discotecas familiares y escolares con músicas pensadas especialmente para los chicos, y brindar nuevas herramientas para el trabajo diario de los docentes en sus aulas”.

SERELEPE_Por_Thiago_Franco.jpg
Desde Brasil, Serelepe invita a cantar a partir del juego.

PARA AGENDAR

Los recitales abiertos al público tendrán lugar en el Foro Cultural de la UNL, 9 de Julio 2150, y serán los siguientes: sábado 27 Divertitango (Buenos Aires) y Coqui Dutto (Córdoba). El domingo 28, se presentarán La Carreta (Córdoba) y Serelepe (Belo Horizonte, Brasil). El costo de las entradas será de $15, y $10 menores de 8 años.

Además habrá conciertos para alumnos de escuelas santafesinas, los días 25 y 26 de octubre en el Cine Teatro Luz y Fuerza, Junín 2957.

Los talleres para docentes y público en general serán los días 27 y 28 de octubre de 9 a 14 en El Solar de las Artes, 9 de Julio 2955. El cupo es limitado y la inscripción para todos los talleres es de $120. Se otorgarán certificados. El sábado 27 a las 9, estará a cargo de Divertitango, en tanto a las 11.30, Serelepe presentará “Taller de Juegos Musicales”. El domingo 28 a las 9 el grupo La Carreta llevará a cabo el taller “¿Y ahora, qué?”, y a las 11.30, Coqui Dutto propone el taller “Todos somos músicos”.

Habrá una mesa redonda con el uruguayo Julio Brum, sobre el Portal de internet Butiá, un emprendimiento basado en la distribución y comercialización de música infantil latinoamericana a través de la web.
DIVERTITANGO foto grande.jpg
Divertitango, un espectáculo que narra la historia de la música porteña de un modo entretenido.

+datos EN LA WEB

Más información sobre el encuentro en: www.sonamoslatinoamerica.com
CANTICUENTICOS 2012 VERTICAL-004.JPG
Los locales, Canticuénticos son organizadores de este primer festival de música infantil.

quinta-feira, 11 de outubro de 2012

Feliz dia das crianças!

O Serelepe deseja a todas as crianças um lindo dia, cheio de música e de brincadeira! Viva, viva!


Serelepe e as crianças, no teatro Izabela Hendrix, em BH/MG. 02/09/2012.
Por: Thiago Franco.

Duo Rodapião lança DVD



É com alegria que convidamos a todos para o lançamento do DVD do Duo Rodapião. Formado por Eugenio Tadeu (que também integra o Serelepe) e por Miguel Queiroz, o duo já realizou 3 discos/espetáculos: o Dois a Dois, o Murucututu e o Nigun. Nesse DVD, você confere um pouquinho de cada um deles. São mais de 20 anos de dedicação às crianças condensados em imagens e sons!
 
O primeiro lançamento do DVD aconteceu no Festival Latino-americano da Canção Infantil de Bogotá, Colômbia, no dia 05 de outubro de 2012.
Agora é a vez de Belo Horizonte e de Juiz de Fora!

Serviço:
Lançamento DVD "Imagens e Sons do Duo Rodapião" 
Belo Horizonte - Teatro Isabela Hendrix, às 16h, no dia 20/10/2012.
Juiz de Fora - Teatro Solar, às 16h, no dia 21/10/2012.
 

sexta-feira, 28 de setembro de 2012

Serelepe na Colômbia!



A convite de Jorge Sossa, da Escuela Musical Nueva Cultura, o Serelepe participa na próxima semana do Festival Latinoamericano da Canção Infantil - Bogotá 2012, que tem o Brasil como país convidado. A programação ocorre no Museo de los Niños e no Teatro Colsubsidio. 

Na oportunidade também haverá duas oficinas sendo ministradas. A primeira é "Rondas Infantiles Latinoamericanas", a ser ministrada pelo Eugenio Tadeu (que além do Serelepe também integra o Duo Rodapião); a segunda é "El Sentido de la Canción Infantil " a ser ministrada por Márcio Coelho (que integra o Duo Márcio Coelho e Ana Favaretto).

Confira a programação de shows!

Viernes 5 de octubre:
Lanzamiento y presentación de trabajos discograficos y audiovisuales del Movimiento de la Canción Infantil Latinoamericana y Caribeña.
Fundación summum Draco (Colombia)
Los Bigotes de la nutria (Colombia)

Sábado 6 de octubre:
Amatista-Nueva Cultura (Colombia)
Serelepe (Brasil)

Domingo 7 de octubre:
Malaquita (Colombia)
Rodapião (Brasil)
Outras informações: http://www.escuelanuevacultura.edu.co/

sábado, 22 de setembro de 2012

Serelepe é selecionado pelo Programa Música Minas

Foi divulgado ontem o Resultado do Edital de Intercâmbio do Programa Música Minas - 2012. A curadoria do mês de setembro recebeu 13 propostas, das quais foram selecionadas 8. Nossa proposta foi contemplada com quatro passagens aéreas de ida e volta para a Argentina.

O Serelepe fará três apresentações com seu espetáculo “Locotoco” na cidade de Santa Fé, Argentina, entre acontecerá entre os dias 24 e 28 de outubro de 2012, no Festival “Sonamos Latinoamérica”. O grupo integrará a programação da secção “Sonamos para los Chicos” e se apresentará para crianças das escolas da cidade e arredores, e também para o público em geral. Na oportunidade, o Serelepe dividirá palco com grupos musicais de diferentes países da América Latina.

Estamos muito contentes!

Outras informações sobre o Programa Música Minas e os projetos contemplados:

terça-feira, 21 de agosto de 2012

II ENCUENTRO REGIONAL DE MÚSICA INFANTIL / ESQUEL (Argentina)



Compartilhamos a programação do II ENCUENTRO REGIONAL  DE MÚSICA INFANTIL, que vai acontecer na cidade de Esquel, Provincia del Chubut, na Patagônia Argentina, entre os dias 30 de agosto e 01 de setembro de 2012. 

***
 
El encuentro Regional Música para Niños/as es una instancia de intercambio, capacitación y   reflexión, de quehaceres pedagógicos  musicales y  culturales.

TALLERES
 
viernes 31 agosto
 
18:00 horas  “¿Y ahora que?” a cargo de Cecilia Raspo de La Carreta
 
20:00horas  “Música  en migración, hacia una escuela intercultural” a cargo de Marco Vilches.
 
sábado 1  de septiembre
 
9:00 horas “Armado de instrumentos” a cargo de Julio Calvo de Los Musiqueros
 
11:00horas  “El Ritmo y la Palabra ” a cargo de  Teresa Usandivaras de Los Musiqueros
 
14:00horas  “La música en la vida cotidiana del Aula” de Marisa Digiambatista de La Maroma.
 
“El cuerpo, la música y el juego” Daniel Viola.
 
CONCIERTOS EN ESCUELAS
 
jueves 30/
 
10:30 horas  en la escuela Nº 24 se presentará el Grupo Entrecerros.  
14.30 horas  en la escuela Nº 54 se presentará Coqui Dutto.
 
viernes 31/
10.30 en la escuela Nº 112 se presentará Che Chin.
14.30 en la escuela Nº 210 se presentará La Maroma
15.30 en la escuela 200 se presentará “Encanthados”.
 
sábado 1 de septiembre
 
11:00 horas  en la escuela Nº 159 se presentará La Carreta.
 
18:00 horas concierto de cierre en el auditorio municipal.
 
 
Auspician/
 
Secretaría de Cultura de NACION.
Secretaría de Cultura del Chubut.
Subsecretaria de Cultura de la Municipalidad de Esquel
ATECH –regional oeste
MOMUSI
 

Música para Crianças em BH


Canções e brincadeiras tradicionais do Brasil e da América Latina serão um convite para baixinhos e grandinhos soltarem a imaginação e se divertirem de corpo, alma e voz

O Diversão em Cena, da Arcelor Mittal, em parceria com o projeto Música para Crianças, da Artelivre Produção e Comunicação, trará para Belo Horizonte mais uma atração de qualidade voltada para o público infantil. Os mineiros do Serelepe transformarão a programação de setembro em uma intervenção musical e, por meio de instrumentos variados, os integrantes do grupo, Cris Lima, Reginaldo Santos e Eugenio Tadeu se misturarão ao público convidando-os a soltar a imaginação e entrar nesta grande brincadeira do espetáculo Locotoco. Esta trupe, que interpretará clássicos do norte ao sul do Brasil e de países vizinhos, como a Argentina e o Uruguai, se apresentará no Teatro Izabela Hendrix (Rua da Bahia, 2020, Lourdes), no dia 2 de setembro, domingo, às 16 horas.
Em julho deste ano, o grupo passou pela cidade de Juiz de Fora, por meio, também, do projeto Música para Crianças. O repertório apresentado durante o show no município mineiro animou a plateia. Dentre as músicas interpretadas estavam canções tradicionais mineiras como O que está fazendo aí?, Calango da Ema, Conga, Beira Mar dos Canoeiros, Cabilé e Tamborim; composições bahianas, argentinas e colombianas.  As músicas de autoria de João do Vale e Luiz Vieira, Na Asa do Vento, e a que dá nome ao espetáculo, Locotoco, da professora Didi, da Escola de Música da Universidade do Estado de Minas Gerais, completaram a divertida apresentação que chega, agora, à Belo Horizonte.
Os trabalhos do Serelepe começaram a partir de um programa de rádio que levava, até os ouvintes da Rádio UFMG Educativa, um pouquinho do universo musical infantil. Posteriormente, o grupo também passou a se dedicar a oficinas de formação em rádio e de divulgação de brincadeiras populares, sempre com a música como tema principal. Seus integrantes participaram de diversos festivais no Chile, Ribeirão Preto, Montevidéu e São Paulo.
Em 2012, o grupo ministrou oficinas de brincadeiras e canções na Argentina e, também, no V Festival Internacional de Canção Infantil, na Colômbia. Atualmente, o Serelepe faz parte do Movimento Brasileiro da Canção Infantil e integra o programa de extensão “Artes Cênicas: ações formativas”, da Universidade Federal de Minas Gerais.

Projeto
Local:  Teatro Izabela Hendrix
Data:  02 de setembro
Hora:  16 horas
Entrada franca (retirada de ingressos 1 hora antes, na bilheteria do teatro)

Informações: www.artelivreproducao.com.br

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Encontros da Canção Infantil na Colômbia



Os preparativos para o 11º Encontro da Canção Infantil Latinoamericana e Caribenha, que ocorrerá em Bogotá (Colômbia), entre os dias 20 e 29 de setembro de 2013, já estão acontecendo! A coordenação do encontro está a cargo de Jorge Sossa, da Escuela Musical Nueva Cultura.

Ainda em 2012, acontecerá o Festival "Bogotá en Família", no Teatro Mayor Julio Mario Santodomingo, com a seguinte programação:

Domingo 16 de septiembre:
Cantaclaro (Colombia)
Tinguiritas (Argentina)

Domingo 22 de septiembre
Magenta-Nueva Cultura
Botes Cantan (México)

Domingo 29 de septiembre
Cantores de Colores (Colombia)
Ana Favaretto y Marcio Coelho (Brasil)

Em outubro, acontece o Festival Latinoamericano da Canção Infantil - Bogotá 2012, que tem o Brasil como país convidado. A programação ocorre no Museo de los Niños e no teatro Colsubsidio. O Serelepe e o Duo Rodapião - de Belo Horizonte - participam da programação, confira a seguir!

Viernes 5 de octubre:
Lanzamiento y presentación de trabajos discograficos y audiovisuales del Movimiento de la Canción Infantil Latinoamericana y Caribeña.
Fundación summum Draco (Colombia)
Los Bigotes de la nutria (Colombia)

Sábado 6 de octubre:
Amatista-Nueva Cultura (Colombia)
Serelepe (Brasil)

Domingo 7 de octubre:
Malaquita (Colombia)
Rodapião (Brasil)

Maiores informações em breve!

terça-feira, 7 de agosto de 2012

Fazer música para criança é um grande barato, mesmo com um público tão exigente

Matéria publicada no Divirta-se!, no dia 06/08/2012.

Ana Clara Brant - EM Cultura


Douglas Luzz/Divulgação
O projeto Escutatória vem sendo desenvolvido com sucesso pelo Emcantar

Elas são o público mais espontâneo e também o mais crítico. Nem adianta tentar engabelar, porque crianças costumam ser 8 ou 80. Talvez por isso não seja tão fácil agradá-las de supetão, mas quando isso ocorre o resultado costuma ser proveitoso para todos. Músicas infantis sempre foram produzidas ao longo dos anos, mas de um tempo para cá esse filão vem se intensificando e artistas que originalmente nem eram associados a esse mercado, como Adriana Calcanhoto ou Fernanda Takai, investiram com  sucesso nesse segmento. 

“Hoje, a produção musical para crianças é grande, de boa qualidade, mas tem muita reprodução do cancioneiro popular ou de hits de adultos que estão na boca de todos e acabam sendo adaptados”, avalia Maíra de Ávila, coordenadora de comunicação e integrante do Emcantar, organização que atua desde 1996 nas áreas de cultura, educação e meio ambiente nas cidades mineiras de Araguari e Uberlândia, no Triângulo. “Nosso trabalho foca no autoral, a gente estimula a nossa produção. E não precisa ser uma música infantiloide. A gente brinca com a palavra e o som e acaba sendo uma diversão tanto pra gente quanto para os pequenos. É importante esse tipo de iniciativa porque estimula o processo de formação e de cognição da garotada.”

O grupo Emcantar lançou em 2012 o projeto Escutatória, que mescla livro e CD e valoriza o senso de pertencimento, a função social da arte e o encantamento como visão de mundo, buscando “o melhor de cada um para o melhor de todos” no processo de criação. “Nossas canções sempre são baseadas na cultura, no meio ambiente, na educação, no lado filosófico da vida e são extremamente divertidas”, reforça Maíra de Ávila. “Não é apenas um produto para a criançada, mas para educadores e toda a família. O Escutatória também pode ser aplicado como uma tecnologia educacional, já que trabalha as potencialidades de cada indivíduo. É um processo de descobertas o tempo todo.”

ÉRAMOS TRÊS Outro grupo que se dedica ao assunto é o Éramos Três, de Belo Horizonte, que no ano passado recebeu o Prêmio da Música Brasileira na categoria melhor álbum infantil, com o CD Quando eu crescer, trabalho de estreia do coletivo, com composições de Fernanda Sander. Além dela, fazem parte Eduardo Borges (violão, guitarra, percussão, programação), Filipe Guerra (violão, guitarra, baixo, programação) e Jalver Bethônico (percussão, efeitos sonoros), que começaram a tocar despretensiosamente, mas nunca relegaram a preocupação com a qualidade. 

“Não é porque é um trabalho dedicado ao público infantil que ele vai ser menor”, ressalta Eduardo Borges. “A proposta é desenvolver algo que não menospreze a inteligência do público-alvo e sempre buscamos criar músicas rebuscadas e verdadeiras obras musicais. A Fernanda Sander costuma dizer que não faz música para criança, mas música com criança, porque tudo surge da experiência e da vivência dela como professora de musicalização.” Ainda segundo Eduardo Borges, esse é um espaço riquíssimo para ser explorado. “A gente traz elementos lúdicos; a música deve brincar com o ouvinte. E a criança costuma ser muito sincera e autêntica. Por isso, quando há um retorno positivo a gente sabe que aquilo é verdadeiro e é extremamente gratificante.” 

Resgatando a infância

Que tal ouvir clássicos infantis como Marcha soldado, Atirei o pau no gato ou até hits dos anos 1980 como O carimbador maluco, A casa ou A galinha magricela  ao som de uma guitarra, baixo e bateria? Essa é a proposta do grupo mineiro Pirocóptero, que há 10 anos encanta crianças e adultos com seu rock‘n’roll infantil. O baterista Vinicius Duarte, o Viny, conta que fazia parte de uma banda de jazz, e no dia do aniversário de 2 anos do filho resolveu fazer uma apresentação com músicas infantis com uma releitura roqueira.
“Foi meio de improviso e todo mundo gostou. Tanto que estamos aí há uma década, apesar de um intervalo de dois anos parados”, conta Viny. “Os adultos acabam se divertindo muito também, porque tem solo de guitarra, bateria, baixo pulsante. É uma proposta diferente”, acrescenta o músico, que se prepara para fazer  show amanhã dentro do projeto Música para Crianças, da Artelivre Produção e Comunicação, em parceria com o Diversão em Cena, da ArcelorMittal.

O grupo chegou a lançar o disco Brincadeira é coisa séria, com composições próprias, e procura criar as letras abordando temas do universo infantil e pré-adolescente, além de mensagens positivas para a garotada, sempre de maneira irreverente. “A ideia é resgatar a infância, já que essa meninada de hoje não sabe o que é brincar na rua, pular muro... E também procuramos tratar as crianças de igual para igual. Não é porque elas são pequenas que são diferentes da gente”, lembra.