Oficinas



OFICINA SERELEPE – BRINCADEIRAS E CANÇÕES
[Oficina Serelepe para crianças, jovens e adultos]
Duração: 1h
Número de participantes: 50 

Oficina Serelepe para crianças
Nesta oficina, os participantes terão a oportunidade de experimentar, coletivamente, brincadeiras tradicionais e canções, como Camaleão, Caminho da roça, Conga, Úngara, Xep-Xep, Quando eu era neném, Bate o monjolo, Emiliano que tenés, O que está fazendo aí, para citar alguns exemplos. Espera-se que, juntos, proponentes e público façam um uso descompromissado da imaginação, do corpo e da voz. Vamos lá? Um dô la si vamos e... já!

ESPAÇO NECESSÁRIO
Espaço amplo e coberto, sem mobília ou outros obstáculos, onde as pessoas possam circular livremente.

A MÚSICA E O BRINCAR NA FORMAÇÃO INTEGRAL DA CRIANÇA
[Oficina Serelepe para professores]
Duração: 2 horas
Número de participantes: 50
 
Oficina Serelepe para professores e outros interessados

Nesta oficina, os participantes terão a oportunidade de experimentar, coletivamente, brincadeiras tradicionais e canções – recolhidas em diferentes regiões do Brasil e da América Latina – e refletir sobre a importância do brincar, da música e do movimento na vida das crianças e dos educadores que delas cuidam. Camaleão, Caminho da roça, Conga, Úngara, Xep-Xep, Quando eu era neném, Bate o monjolo, Emiliano que tenés, O que está fazendo aí, Serpente, Da abóbora faz Melão, são alguns exemplos dos brinquedos cantados que fazem parte do repertório a ser compartilhado. Alternando momentos de atividades práticas e de diálogo, a oficina buscará despertar a atenção dos professores para os conceitos e pré-conceitos acerca da infância que permeiam suas práticas e também sobre os diferentes papéis que a música e o brincar podem assumir no cotidiano da vida escolar.

OBJETIVOS: Ampliar as experiências musicais dos professores; compartilhar brinquedos e brincadeiras; refletir sobre o fenômeno musical e sobre a ludicidade; estabelecer relações entre o trabalho prático com crianças pequenas e a reflexão sobre as temáticas propostas.

CONTEÚDOS A SEREM ABORDADOS: Infância: conceitos e preconceitos. As memórias de músicas e brinquedos de cada um. O movimento e o brincar. Refletindo e ampliando o repertório musical. As experiências musicais no cotidiano da educação infantil. A invenção musical – objetos sonoros. A escuta.

ESPAÇO NECESSÁRIO
Espaço amplo e coberto, sem mobília ou outros obstáculos, onde as pessoas possam circular livremente.

BIBLIOGRAFIA
BENJAMIN, Walter. Reflexões: a criança, o brinquedo, a educação. São Paulo: Summus, 1984.

BRITO, Teca Alencar de; MIFANO, Michele. Música na educação infantil: propostas para a formação integral da criança. São Paulo: Peirópolis, 2003.

BRUM, Julio (Org). Panorama del Movimiento de la Canción Infantil Latinoamericana y Caribeña: Estúdios, reflexiones y propuestas acerca de las canciones para la infancia. Montividéo: Papagayo Azul, 2005.

CARVALHO, Alysson [et al] [org}. Brincar(es). Belo Horizonte: PROEX-UFMG/Editora UFMG, 2005.

FRANÇA, Cecília Cavalieri. Quem precisa de educação musical? (Seção Opinião). Belo Horizonte, UFMG – Boletim Informativo, Nº 1314, ano 27, 25.04.2001.

HUIZINGA, John. Homo Ludens. São Paulo: Perspectiva, 1993.

LIMA, C. S.; PEREIRA, Eugenio Tadeu; RESENDE, Gabriel Murilo; SANTOS, Reginaldo. Música e infância no rádio: o programa Serelepe na Rádio UFMG-Educativa. Revista PER MUSI - Revista Acadêmica de Música. n.22. Belo Horizonte: Programa de Pós-graduação da Escola de Música da UFMG, jul-dez. 2010, pp.150-156. Disponível em: http://www.musica.ufmg.br/permusi.

PEREIRA. Eugenio Tadeu. Brincar na adolescência: uma leitura no espaço escolar. Belo Horizonte, FAE-UFMG: 2000. (Dissertação de Mestrado).

________. Brinquedos e infância. Revista Presença Pedagógica. v.8, n.44, Mar.-Abr./2002. Ed. Dimensão. Publicado também em: Revista Criança. n.37. Nov./2002. Ministério da Educação.

Nenhum comentário: