sexta-feira, 1 de agosto de 2008

Acontece em BH


FOTO: Leonardo Lara

Zeropéia
Com Marina Machado, Regina Souza e Maurício Tizumba
30 de julho a 03 de agosto
Quarta a domingo, às 16h30
Classificação: livre
Duração: 1h10


O espetáculo foi concebido baseado nas histórias “A Zeropéia”, “A Centopéia que pensava” e “A Centopéia que sonhava”, de Herbert de Souza, o Betinho. A montagem contou com a direção da produtora, atriz e cineasta Carla Camurati, que atuou na primeira fase do trabalho e, dando seqüência à montagem, a produtora e atriz Paula Manata (do grupo Armatrux) assumiu a direção do show.

Regina Souza – adaptação e roteiro - conta que o livro “A Zeropéia” “tem uma linguagem simples, direta e traz uma mensagem muito bacana. É um texto leve, feito especialmente para as crianças”. Ela diz que tem a “impressão de que o Betinho escreveu tudo já imaginando cada cena, pois o texto é muito cênico”. Regina explica ainda que, pelo fato de a Burlantins ser uma companhia de atores-cantores, eles resolveram fazer o espetáculo na forma de show.

A trilha foi composta por Vander Lee, Flávio Henrique, Chico Amaral, Affonsinho, Jonh Ulhoa e Mauricio Tizumba. Sensibilizados e entusiasmados com a proposta da montagem de mais um espetáculo da Burlantins, os compositores aceitaram o desafio de ampliar o repertório, dessa vez, com músicas baseadas nos personagens que têm, como protagonista, a simpática Zeropéia. O resultado é um repertório de 14 músicas, sendo cinco inéditas.

O personagem

O livro escrito pelo sociólogo Herbert de Souza, o Betinho, é parte integrante de uma série de quatro pequenos livros escritos por ele, em que a personagem principal é uma simpática Centopéia.

Dona Centopéia caminhava com suas 100 patinhas pela floresta, quando encontrou uma barata. Ágil e esperta, a barata ficou assustada com a grande quantidade de patas da Centopéia. Outros bichos e outros problemas surgirão no caminho de Dona Centopéia. Mas a solução ela terá de encontrar dentro de si mesma. Este foi o caminho que Betinho encontrou para mostrar para as crianças que precisamos, antes de tudo, gostar de nós mesmos. Respeitar as opiniões diferentes não significa abandonar nossas próprias idéias.

>>>>>>>>>>>>>>>



FOTO: Leonardo Lara

Opereta – O Homem que Sabia Português
31 de julho a 03 de agosto
Quinta a sábado, às 21h.
Domingo, às 20h
Classificação: Livre
Duração: 50min


Com direção de Chico Pelúcio e música e libreto de Tim Rescala, a peça discorre sobre a história de Barreto (Maurício Tizumba), um dedicado mestre de português, tímido, quarentão e solteirão, que finalmente decide se casar. É então que ele coloca um anúncio no jornal para conseguir uma companheira. Por um acaso do destino, Cráudia (Marina Machado), uma doméstica à procura de emprego, engana-se de endereço e bate à porta do professor que se encanta por ela. Os dois conversam distraidamente, sem perceber que falam de assuntos diferentes: ela do emprego e ele do casamento. A confusão aumenta quando aparece Lígia (Regina Spósito), candidata a boa esposa, moça fina, culta e educada, que atende a todos os pré-requisitos do professor. Mas Lígia só tem um probleminha: é desbocada. Nas entrelinhas, surge Inácio (também interpretado por Maurício Tizumba), o mais querido e popular do bairro, que confunde Lígia com a empregada e se apaixona por ela.

A partir daí, a trupe dá continuidade a narrativa de uma forma envolvente e sedutora, mesclando música e interpretação, ao apresentar músicas líricas e populares, conservando o estilo dos operetas de rua. O espetáculo segue com muita leveza e comicidade, expondo as diferenças sociais e culturais, que acabam por desaparecer diante da força arrebatadora do amor, contata a partir do clássico e o popular.


A Companhia

Música e teatro na rua. Esta foi a idéia inicial para a criação da Cia. Burlantins, de Belo Horizonte. Fundada em 1996, ela é dirigida pelos seus artistas-cantores-compositores Regina Souza, Maurício Tizumba e Marina Machado.

A Cia. Burlantins é um dos grupos mais respeitados no cenário artístico nacional. Vem desenvolvendo ao longo dos anos uma pesquisa em torno da integração da música junto ao teatro e a dança, sempre com apresentações de rua. Paralelamente, seus fundadores desenvolvem carreiras solo na música, com amplo reconhecimento de público e crítica.

Venda de ingressos:

POSTO DO SINPARC: (Mercado das Flores - Avenida Afonso Pena com Rua da Bahia). Funcionamento de quarta a sábado, das 12h às 18h. Domingos e feriados, das 10h às 17h.
BILHETERIA DO TEATRO ALTEROSA: a partir de 17 de julho, quinta-feira. Telefone: 3237-6611

Preço Promocional:
R$ 10 (para todas as categorias)

Todo o conteúdo deste post foi extraído do site do Teatro Alterosa: http://www.alterosa.com.br/html/caderno_teatroalterosa/caderno_teatroalterosa.shtml
Acesso em 01/08/2008.